Secretário de Mogi agredia a ex-mulher, segundo boletins de ocorrência

DSC_3793

Daniel Teixeira de Lima, do Meio Ambiente, figura em ao menos dois B.Os por violência doméstica e lesão corporal

 

Por Renan Xavier

Paulistano, 39 anos, professor licenciado em Ciências Sociais e membro do primeiro escalão da administração pública mogiana: Daniel Teixeira de Lima, o secretário municipal de Verde e Meio Ambiente do governo Marcus Melo (PSDB), ostenta um currículo respeitável. No entanto, registros policiais revelam que ele foi autor de diversas ocorrências de violência doméstica e lesão corporal contra a ex-mulher, de 38 anos, com quem tem duas filhas, foi casado por 16 anos e separou-se no final de 2014.

As informações são fruto de denúncia por um parente da vítima, M. M. (iniciais), e posterior apuração junto à Polícia Civil e órgãos judiciários. A reportagem teve acesso a inquéritos policiais instaurados com base na Lei Maria da Penha e ações na Justiça que indicam que o comportamento violento do secretário foi recorrente entre 2008 a 2014 e foi um dos motivos para a separação do casal.

De acordo com um boletim de ocorrência lavrado no dia 22 de novembro de 2014 no 33º DP (Distrito Policial) de Carapicuíba, na Grande SP, após uma discussão naquela noite, a mulher foi atirada ao chão por Lima, o que lhe causou hematomas no braço. Em seguida, o secretário ainda a teria xingado de “vaca” e “filha da puta”. O caso foi registrado como violência doméstica, lesão corporal e injúria, e motivou a abertura de um inquérito.

Poucos dias depois, a vítima deu entrada ao pedido de divórcio judicial ajuizado na 2ª Vara da Família e Sucessões do Foro Regional da Lapa, na capital paulista. Nesta ocasião, de acordo com os autos da ação, a mulher revelou que as agressões ocorriam há anos e apresentou fotos de hematomas e escoriações causadas por golpes supostamente desferidos pelo ex-marido.

De fato, a reportagem apurou que outro boletim de ocorrência foi registrado em dezembro de 2008 (seis anos antes da última agressão), no 87º DP Vila Pereira Barreto, no município de São Paulo. A vítima relatou que, após uma discussão, Daniel Teixeira de Lima, nervoso e agressivo, atirou contra ela uma bolsa e um chaveiro que atingiu sua cabeça, provocando um corte. A mulher foi atendida no Pronto Socorro do Hospital São Camilo e, em seguida, dirigiu-se à delegacia para registrar a ocorrência. Ela, contudo, não solicitou a abertura de processo criminal contra o então marido na ocasião.

Em seu pedido de divórcio, a mulher anexou comprovantes de atendimentos médicos realizados após as “reiteradas agressões” e notas fiscais de consertos de portas e portões, reparos que, segundo ela, eram feitos após o secretário destruir partes da residência durante acessos de fúria. A separação, contudo, terminou sendo acertada entre as partes e a vítima ficou com a guarda das filhas.

 

NADA A DIZER – Procurada pela reportagem, a ex-mulher de Lima não quis comentar o caso. “Prefiro não me pronunciar sobre esse assunto.”

 

Demitido de colégio por denúncia

Pouco tempo antes de se tornar secretário em Mogi, Daniel Teixeira de Lima foi professor em um conceituado colégio privado da capital paulista. Contudo, após a direção receber denúncias de que ele agredia a esposa, decidiu demiti-lo. Esta afirmação é da própria defesa do secretário em processo que tramitou há dois meses na 2ª Vara da Família e Sucessões do Foro Regional da Lapa. Nos autos da ação, o advogado de Lima chama a acusação de falácia e afirma que a suposta mentira causou “imensuráveis prejuízos materiais e morais” a seu cliente. O documento em que constam tais afirmações foi fornecido pela fonte que denunciou o secretário.

 

Resposta dos ENVOLVIDOS

Em nota, a defesa do secretário de Meio Ambiente, Daniel Teixeira de Lima, disse que “todas as assertivas ventiladas a respeito do ilustre secretário são mentirosas”. A nota acrescenta que “lamenta-se que sejam feitas [as denúncias] com base em vazamentos seletivos de autos que correm em segredo de justiça [grifado], onde estão fartamente comprovadas serem mentirosas tais afirmações.”

Coordenadoria de Comunicação da prefeitura de Mogi das Cruzes, por sua vez, disse por meio de nota que “o secretário municipal do Verde e Meio Ambiente, Daniel Teixeira de Lima, possui conduta profissional exemplar, exercendo seu cargo de maneira ilibada, não havendo nada que desabone sua conduta profissional ou pessoal.”




11 thoughts on “Secretário de Mogi agredia a ex-mulher, segundo boletins de ocorrência

  1. Anderson

    Como uma pessoa dessa ainda fala que é mentira, na propria materia mostra provas!! Pra vcs verem como nossos representantes sao… bate em homem “exelentissimo”!!

    Reply
  2. Maria Madalena de Lima

    Um covarde que bate em mulher é um lixo de ser que se diz humano, adianta ter “conduta profissional exemplar” 😠?? Mas conseguiu uma “boquinha ” aqui na nossa Mogi né, tudo que é tranqueira pega cargo aqui,deveriam investigar mais sobre a vida dessas pessoas , afinal é com o nosso dinheiro que se paga o salário deles….

    Reply
  3. Anderson

    Mais uma mentira desse ser, ele ja estava cotado pra assumir o cargo dia 15 e foi “mandado embora” dia 23…. deixa de ser coitado…. bateu em mulher e agora fica dando uma de coitadinho…. caro Renan se for mais a fundo vai ver cada verdade deste ser “ilustre”…

    Reply
  4. Anônimo

    Além de bater em mulher e destruir a própria casa, esse sujeito nem conhece meio ambiente pra poder ser Secretário.
    Pior que o Lima, é o Prefeito Marcus Melo que teve a cara de pau de dar uma pasta pra um bandido folgado e burro não fazer nada de bom pro verde e meio ambiente mogiano!

    Reply

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *