Taxa de mortalidade infantil é reduzida

Guararema_ABRE_ Hospital Municiapl- foto @lailsonnascimento
As duas cidades que registram aumento foram Biritiba Mirim e Guararema; Ferraz reduziu de 18,5 para 9,8. Foto: Divulgação

 

A taxa de mortalidade infantil na maioria das cidades do Alto Tietê registrou uma redução na comparação com os anos de 2014 e 2015. Das onze cidades da região, nove tiveram queda na taxa de óbitos por mil recém nascidos, até o primeiro ano de vida. O levantamento que mostra esta redução foi realizado pela Secretaria de Estado da Saúde, em parceria com a Fundação Sistema Estadual de Análise de Dados (Seade).

O destaque positivo foi para Salesópolis, que saiu de uma taxa de 32,1, em 2014, para 16,3, no ano passado. Ferraz de Vasconcelos reduziu de 18,5, há dois anos, para 9,8, em 2015. As duas cidades que registram aumento foram Biritiba Mirim e Guararema.

O Alto Tietê acompanhou a queda da taxa estadual. A taxa no Estado de 10,7 registrada em 2015 é a menor da história. O levantamento indica que os índices foram reduzidos em 65,7% nos últimos 25 anos.

O governador Geraldo Alckmin comemorou os dados divulgados. “O indicador que melhor retrata o estado de saúde de um País, Estado ou Município é a mortalidade infantil. Aqui, em São Paulo, fazemos um acompanhamento anual pela Fundação Seade. Se compararmos a taxa do ano passado com a de 2014, tivemos uma redução de 6%. Comparando com o ano 2000, a redução é de 37%”, disse Alckmin.

Conforme observou o governador, o Estado de São Paulo vem conseguindo reduzir passo a passo os indicadores. “Temos inúmeros municípios com apenas um dígito na taxa de óbitos. A região de São José do Rio Preto foi a melhor do Estado em termos de indicadores”, afirmou.

Em 178 dos 645 municípios do Estado não foram registrados óbitos infantis e em um quarto deles a taxa de mortalidade foi de apenas um dígito, índice comparável a países desenvolvidos. Das 17 regiões de saúde do Estado, em 15 houve redução de mortes em 2015, com relação ao ano anterior. Registro e Ribeirão Preto apresentaram as maiores reduções, 31,5% e 24,1%, respectivamente.

Na região, três cidades atingiram taxas de apenas um dígito: Ferraz de Vasconcelos, Arujá e Santa Isabel.

Entre os fatores que mais contribuíram para a queda dos índices, segundo o governo estadual, está o reforço na área da saúde nos municípios, por meio de repasses do Governo do Estado. Foram repassados pela Secretaria de Estado da Saúde, em convênios firmados entre 2014 e 2016, recursos da ordem de R$ 396 milhões, destinados à qualificação da rede básica do SUS.




Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *